segunda-feira, 10 de junho de 2013

NÃO DESISTO

NÃO DESISTO


A força que gerasse este direito
Sufocando quem pensa e mesmo a nega,
A vida se anuncia e sempre cega
Expressa o que deveras não aceito,

Bebendo deste infausto me deleito
E risco cada barco onde navega
Uma esperança amarga em rude entrega,
E nada mais teria satisfeito,

Porquanto a liberdade seja dura,
Ao menos o pensar livre assegura
Embora nada trace senão isto,

E vendo sem valor imediato
O rústico fantoche hoje retrato,
Porém impertinente eu não desisto.


MARCOS LOURES

Nenhum comentário: